Você está aqui: Página Inicial > Sala de Situação > Sistema Cantareira > Sistema Cantareira (Saiba mais)

Sala de Situação

Inaugurada em 2009, a Sala de Situação da Agência Nacional de Águas (ANA) monitora e analisa a evolução das chuvas, dos níveis e da vazão dos principais rios, reservatórios e bacias hidrográficas. Todas as informações são compartilhadas por meio de boletins e de sistemas de monitoramento, servindo de suporte para a decisão das autoridades responsáveis pela gestão de eventos hidrológicos críticos no País. Assim, a ANA participa do planejamento e promove ações destinadas à prevenção e redução dos efeitos das secas e inundações no Brasil.

Acesse os sistemas no menu ao lado ou selecione na barra azul abaixo a área desejada para conhecer os boletins e outras informações.

Sala de Situação

Sistema Cantareira

INFOGRÁFICO - Saiba mais Sistema Cantareira

O Sistema Cantareira é o maior produtor de água da Região Metropolitana de São Paulo, abastecendo aproximadamente nove milhões de pessoas na capital, além de mais outros 10 municípios. É formado por seis reservatórios conectados por túneis subterrâneos e canais.

São de gestão federal os reservatórios Jaguari e Cachoeira e estadual, o Jacareí e o Atibainha, que, juntos, formam o Sistema Equivalente. Os reservatórios Jaguari e Jacareí, que são interligados, ficam no município de Vargem; o Cachoeira, em Piracaia; e o Atibainha, em Nazaré Paulista. Todos localizados nas bacias dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). Os reservatórios Paiva Castro, em Franco da Rocha; e Águas Claras, em Caieiras, estão na bacia do Alto Tietê e seus volumes não integram o chamado Sistema Equivalente, mas contribuem para a regularização dos rios na bacia do Alto Tietê e no volume de água tratada na estação de Guaraú.

Com o agravamento da estiagem ocorrida em 2014 e 2015, foi autorizado o uso da reserva técnica do Sistema Cantareira, conhecido como "volume morto", que soma cerca de 480 bilhões de litros de água localizados abaixo das estruturas de operação dos reservatórios e acessíveis apenas por bombeamento.

A gestão do Sistema Cantareira é de responsabilidade da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE).  Apesar de o Sistema estar localizado integralmente em território paulista, recebe água de uma bacia hidrográfica de gestão federal. A ANA e o DAEE fazem o acompanhamento por meio dos dados de níveis da água, vazão e volume armazenado, e também, definem, dentro de suas atribuições legais, as normas e regras que determinam a operação do Sistema.  

A operação, por sua vez, é realizada pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), responsável por observar as restrições estabelecidas e comunicar os casos de necessidade de operação emergencial. Em 2004, a outorga de uso dos recursos hídricos do Sistema Cantareira foi concedida à Sabesp, com prazo de dez anos. Mas devido ao período hidrológico crítico de 2014/2015, o prazo da atual outorga foi estendido duas vezes, por meio de resoluções conjuntas ANA-DAEE no 910/2014 e no 1.200/2015. Em 2016, a ANA e o DAEE estabeleceram novo cronograma para o processo de renovação, com previsão para maio de 2017, quando serão conhecidos os termos da nova outorga do Sistema Cantareira. 

Precisa de mais informações? Por favor, acesse:
Perguntas Frequentes Cantareira Glossário do Cantareira

Renovação outorga do Cantareira

Sala de Situação do PCJ (Cantareira)