Você está aqui: Página Inicial > Panorama das águas > Quantidade de água > Água subterrânea

Água subterrânea

Gruta do Lago Azul - Bonito (MS) - Zig Koch/Banco de Imagens ANA

As águas subterrâneas são formadas pelo excedente das águas de chuvas que percorrem camadas abaixo da superfície do solo e preenchem os espaços vazios entre as rochas. Essas formações geológicas permeáveis são chamadas de aquíferos e são classificadas em três tipos: fraturado, poroso e cárstico. Dessa forma, os aquíferos são uma reserva de água embaixo do solo, abastecida pela chuva, e funciona como uma espécie de caixa d’água que alimenta os rios. 

No Brasil, os aquíferos contribuem para que boa parte dos rios brasileiros sejam perenes, ou seja, não sequem no período da estiagem. Por serem relativamente abundantes, compondo uma parcela significativa da água potável utilizada para consumo humano, agricultura e outros fins, o acompanhamento das condições das águas subterrâneas é muito importante.   

O trabalho da Agência Nacional de Águas (ANA), em relação às águas subterrâneas, é elaborar estudos e estimular a a gestão integrada e sustentável dos recursos hídricos subterrâneos e superficiais. Assim, ao adotar uma visão que considera as águas superficiais e subterrâneas como um todo, a ANA previne conflitos pelo uso da água, facilita a gestão compartilhada do recurso pelos estados e estimula o uso racional da água.

Desde 2007, a Agenda de Águas Subterrâneas da ANA desenvolve e financia publicações, apoia a gestão estadual e promove cursos de capacitação. Essas ações buscam dotar os órgãos gestores de recursos hídricos estaduais de conhecimento hidrogeológico, técnico-gerencial e de capacitação específica em águas subterrâneas, de forma que possam desempenhar adequadamente a gestão sistêmica e integrada dos recursos hídricos.

A ANA, porém, não regula o acesso aos aquíferos, já que a competência para gestão das águas subterrâneas é do órgão estadual. 

Acesse o mapa interativo dos aquíferos e conheça as áreas aflorantes do Brasil.