Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Participantes da sessão especial pedem que plataforma on-line Sua Voz permaneça aberta

Notícias

Participantes da sessão especial pedem que plataforma on-line Sua Voz permaneça aberta

publicado: 20/03/2018 21h38 última modificação: 26/03/2018 18h39
Raylton Alves / Banco de Imagens ANA Coordenadora da Gerência Geral de Estratégia da ANA, Flávia Oliveira avaliou os resultados da plataforma Sua Voz

Coordenadora da Gerência Geral de Estratégia da ANA, Flávia Oliveira avaliou os resultados da plataforma Sua Voz

A proposta para que a plataforma de consulta on-line Sua Voz seja mantida e utilizada nas próximas edições do Fórum Mundial da Água foi reafirmada diversas vezes nesta terça-feira, 20 de março, durante a sessão especial Contribuições da plataforma de consulta on-line Sua Voz - Resultados e Conclusões.

A proposta de manutenção da plataforma foi feita por pessoas presentes na sessão e pelo professor Davi Silva Fagundes, que a utilizou em sala de aula como ferramenta didática e mobilizou seus alunos a participarem e a registrarem comentários. “Manter o portal aberto significa dar oportunidade às pessoas de ter vez e voz. Mantê-la aberta significa dar sequência às discussões”, afirmou.

A plataforma Sua Voz é a uma inovação implementada pelo Brasil nesta 8ª edição do Fórum Mundial da Água para realização de ampla consulta popular aberta pela internet. A iniciativa foi possível por meio de parceria entre a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Programa das Nações Unidas pelo Desenvolvimento (PNUD).

Realizada desde 2017 em três rodadas, os números alcançados pela plataforma online foram significativos. De acordo com o gerente de projetos de Consultas Globais Online do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Romolo Tassone, foram mais de 290 mil visitas à plataforma, 2.413 comentários e 90 questões hídricas identificadas. Os 3.778 inscritos, sendo 45% mulheres e 55% homens, são oriundos de 193 países.

Outras 2.197 pessoas se registraram para receber comentários postados na plataforma. Os dez países que mais tiveram participações foram Brasil, Estados Unidos França, Índia, Japão, Portugal, Holanda, México, Reino Unido e Peru. Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro são as três cidades com maior número de participações dentre as dez brasileiras com maior adesão à Sua Voz. “A média de permanência a cada visita foi de mais de quatro minutos, o que é um bom indicador do engajamento dos participantes”, explicou Romolo Tassone.

Cheikh Tidiane Fau, representante da delegação do Senegal, país que sediará a próxima edição do Fórum Mundial da Água, em 2021, declarou que a sessão sobre a plataforma Sua Voz foi muito proveitosa. “Considerando esta ferramenta, acho que há muitos benefícios, particularmente para pessoas que não podem comparecer ao Fórum. Foi importante implementar uma rede em todo o mundo para dar oportunidade às pessoas que não estão vindo ao Brasil para trocar ideias e fazer parte deste evento. Penso que será necessário que o Senegal implemente a ferramenta e isso pode ser feito na base do que foi feito no Brasil, mas será necessário integrar as lições aprendidas pelos brasileiros e tentar, com essa cooperação, aperfeiçoá-la para daqui a três anos no Senegal”, afirmou.

Ana Paula Fioreze, superintendente adjunta de Operações e Eventos Críticos da ANA e membro da Comissão do Processo Temático do 8º Fórum Mundial da Água, explicou como as contribuições que chegaram pela internet foram inseridas nos temas das sessões. “O nosso interesse sempre foi o de trazer as vozes que não são ouvidas. O que nós queríamos era dar uma racionalidade e ter um registro sobre o que as pessoas ao redor do mundo pensam sobre água. O Processo Temático sempre foi muito aberto a receber essas contribuições e inseri-las na temática do 8º Fórum”, destacou.

A moderadora Diana Iskreva, outra palestrante da sessão, destacou temas que emergiram na sala Pessoas e como estes assuntos foram relacionados aos diversos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Houve, por exemplo, comentários sobre acesso à saúde e saneamento, conectando os temas pobreza, gênero, igualdade, paz e justiça. “Atuar como moderadora da sala Pessoas me deu a chance de aprender mais sobre coisas que eu já conheço e aprender coisas totalmente novas”, disse.

Foram seis salas de discussão para promover interações e comentários sobre os temas Clima, Pessoas, Urbano, Ecossistemas, Desenvolvimento e Financiamento.

Clique aqui para ler a edição 3 do Jornal do 8FMA