Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Livro sobre Projeto Produtor de Água é lançado no Fórum Mundial

Notícias

Livro sobre Projeto Produtor de Água é lançado no Fórum Mundial

publicado: 19/03/2018 20h33 última modificação: 23/03/2018 15h25
Exibir carrossel de imagens Daniel Ferreira / Banco de Imagens ANA Lançamento do livro sobre o Produtor de Água no Pipiripau

Lançamento do livro sobre o Produtor de Água no Pipiripau

A Agência Nacional de Águas (ANA) foi umas das parceiras na produção do livro “A experiência do Projeto Produtor de Água na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Pipiripau”, que foi lançado na última segunda-feira, 19 de março, durante a programação do 8º Fórum Mundial da Água, na Vila Cidadã, em Brasília. Na ocasião, a ANA foi representada pelo coordenador de Implementação de Projetos Indutores, Devanir dos Santos. 

Além de abordar a criação do Projeto Produtor de Água na Bacia do Pipiripau, que acontece no Distrito Federal, o livro narra também a história de recuperação dos mananciais realizada pelos agricultores da região, pois a vazão do ribeirão Pipiripau vinha diminuindo e comprometendo a irrigação e o abastecimento dos 200 mil habitantes das cidades-satélite de Sobradinho e Planaltina pela Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (CAESB). 

Desde o começo da iniciativa, foram firmados 172 contratos. Ao todo, as ações na bacia beneficiaram aproximadamente 300 produtores. Além do ganho econômico da sua produção, o produtor rural melhorou a quantidade e a qualidade da água da região, beneficiando a todos da bacia hidrográfica. 

O foco do programa é o estímulo à política de pagamento por serviços ambientais (PSA), que recompensa os produtores rurais por ações de conservação de água e solo e tem como alvo a proteção dos recursos hídricos no Brasil. Assim, a ANA apoia projetos que visam à redução da erosão e do assoreamento de mananciais no meio rural, melhorando a qualidade e a oferta de água. 

A ANA apoia, atualmente, 57 projetos em sete regiões hidrográficas brasileiras, beneficiando mais de 35 milhões de pessoas das regiões metropolitanas de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Palmas (TO), Rio Branco (AC), Campo Grande (MS), Goiânia (GO) e Brasília (DF). Todo o apoio técnico necessário é oferecido aos cerca de 1.200 produtores participantes pela equipe de especialistas da Agência. As iniciativas já recuperaram uma área de 400 mil hectares.

No lançamento do livro também estiveram presentes representantes de outras instituições parceiras, como Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (ADASA); Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal; Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (EMATER/DF); e Universidade de Brasília (UnB). 

ANA na Vila Cidadã

Ainda na última segunda-feira, 19, na Vila Cidadã, aconteceu a Roda de Conversa “Educação para uma nova cultura” com a participação da ANA. A ideia do espaço foi provocar o diálogo sobre como formar pessoas para a superação dos problemas e dos desafios com a água. Ainda na ocasião, foram lançadas duas publicações da ANA: “Catálogos de materiais didáticos com o tema água para a educação básica” e “Encontros Formativos: Educação Ambiental, Capacitação e Gestão das Águas”. 

A Agência Nacional de Águas também participou da oficina de intercâmbio de experiências com os educadores de várias partes do país premiados no Prêmio Professores do Brasil 2017. A iniciativa é do Ministério da Educação em parceria com a ANA.

No estande da Agência na Feira do Fórum Mundial da Água, ainda ocorreu o painel sobre o Sistema de Regulação de Usos dos Recursos Hídricos (REGLA) e a apresentação do estudo Atlas Esgotos – Despoluição de Bacias Hidrográficas, ambos lançados em 2017. 

Mercado de Soluções

Ontem também foi aberto o espaço Mercado de Soluções na Vila Cidadã. No local, os visitantes podem conhecer 60 experiências individuais ou comunitárias de diversas partes do mundo, todas relacionadas a boas práticas no uso da água. Algumas destas já foram premiadas com o Prêmio ANA. A ideia é que as pessoas percebam que podem replicar as iniciativas ou criar suas próprias soluções.

Clique aqui para ler a edição 2 do jornal do 8FMA