Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Fórum Mundial da Água: participação feminina em todas as sessões do processo temático

Notícias

Fórum Mundial da Água: participação feminina em todas as sessões do processo temático

publicado: 08/03/2018 12h30 última modificação: 12/03/2018 10h12

Na organização do 8º Fórum Mundial da Água, que acontecerá em Brasília de 18 a 23 de março, uma das preocupações tem sido a de garantir espaço e voz às mulheres. Por isso, 105 sessões do processo temático do maior evento do mundo sobre recursos hídricos terão representação feminina em papéis relevantes, como: moderadoras, palestrantes e apresentadoras de painéis temáticos. Estes debates também contarão necessariamente com jovens profissionais do setor, com até 35 anos, e foi levado em conta, ainda, o equilíbrio da representação dos diferentes continentes. 

Durante o maior evento do mundo sobre água, haverá 95 sessões temáticas ordinárias, além de uma sessão de abertura e nove de encerramento dos temas. Na sessão sobre A Nova Agenda Política para a Gestão Integrada de Recursos Hídricos, por exemplo, a questão da equidade de gênero será discutida, sendo que este tema estará presente de maneira transversal no Fórum.

Os assuntos das sessões foram definidos pela Comissão do Processo Temático em conjunto com mais de 300 entidades de apoio de todo o mundo. O processo também contou com a participação social por meio da plataforma online Sua Voz. Pela primeira vez, pessoas de todo o planeta puderam enviar, via internet, sugestões de assuntos a serem debatidos no Fórum Mundial dentro de seis grandes temáticas: Clima, Desenvolvimento, Ecossistemas, Finanças, Pessoas e Urbano. 

O Processo Temático conta com a participação de duas mulheres: a superintendente adjunta de Operações e Eventos Críticos da ANA, Ana Paula Fioreze, e da consultora do Ministério de Recursos Hídricos do Marrocos, Laila Oualkacha. 

As outras quatro comissões que organizam o Fórum também contam com representação feminina. Na Comissão do Processo Regional está presente a secretária do Programa Hidrológico Internacional (PHI) da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Blanca Jiménez Cisneros. A mexicana é a primeira mulher a ocupar este cargo. Na Comissão do Processo Político estão a deputada francesa Sophie Auconie e a indiana Kanupriya Harish, da Fundação Jal Bhagirathi. 

No grupo do Fórum Cidadão a vice-presidente é Iman Abd El Al, fundadora da Foundação Ibrahim AbdEl Al para o Desenvolvimento Sustentável, do Líbano. A comissão também conta com a especialista em recursos hídricos da ANA, Taciana Leme; a especialista em responsabilidade social corporativa e desenvolvimento sustentável, Mathilde Saada; a secretária executiva da Rede Brasil de Organismos de Bacia (REBOB), Suraya Modaelli; a vice-presidente de Pesquisa sobre Água do Centro de Treinamento de Myanmar, a holandesa Alice Bouman-Dentener; e a marroquina Asma Bachikh, que é presidente do Parlamento Mundial da Juventude para a Água. 

Outra comissão com expressiva presença feminina é o Grupo Focal de Sustentabilidade. O grupo conta com a participação da presidente do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), Marina Grossi; a diretora de Águas da WWF, Karin Krchnak; a subsecretária de Planejamento Ambiental e Monitoramento da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Distrito Federal, Maria Silvia Rossi; e a gerente de Sustentabilidade da Coca-Cola Brasil, Flávia Neves. 

O Fórum

O 8º Fórum Mundial da Água é um espaço para trocar experiências, analisar problemas e buscar soluções relacionadas ao uso consciente da água em todo o planeta. Mais de 40 mil pessoas de mais de 100 países são esperadas para o maior evento do mundo sobre recursos hídricos, que será realizado em março deste ano, em Brasília, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães e no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha.

A primeira edição do Fórum Mundial ocorreu em 1997, em Marraquexe, no Marrocos. Ao longo desses 20 anos, o evento passou por Haia, na Holanda (2000), Quioto, no Japão (2003), Cidade do México, no México (2006), Istambul, na Turquia (2009), Marselha, na França (2012), e Daegu e Geongbuk, na Coreia do Sul (2015).

registrado em: