Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Três Artigos científicos ganham o Prêmio Jovem Pesquisador

Três Artigos científicos ganham o Prêmio Jovem Pesquisador

por ASCOM/ANA publicado 26/11/2009 00h00, última modificação 14/03/2019 16h34
Durante a Assembléia Geral a Associação Brasileira de Recursos Hídricos foi divulgada a pouco a lista com os três vencedores do Prêmio Jovem Pesquisador do 18º Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. Carlos Henrique Ribeiro Lima pelo artigo Análise Temporal e Regional de Cheias Anuais Por Meio de
Durante a Assembléia Geral a Associação Brasileira de Recursos Hídricos foi divulgada a pouco a lista com os três vencedores do Prêmio Jovem Pesquisador do 18º Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. Carlos Henrique Ribeiro Lima pelo artigo Análise Temporal e Regional de Cheias Anuais Por Meio de um Modelo Hierárquico. Renato de Queiroz Porto com Implantação de Redes de Postos Pluviométricos Fictícios e sua Influência na Simulação Hidrológica e por último Sidnei Ono pelo projeto Sistema e Suporte a decisão para Gestão de Água Urbana.

Segundo o professor integrante da comissão científica do Simpósio, Sergio Koide quem quiser merecer o prêmio Jovem Pesquisador precisa responder duas perguntas “Qual o potencial desse pesquisador? Seu trabalho pode ser considerado objeto científico?”, explica.
Em 1995, no XI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos em Recife, o prêmio foi criado com objetivo de incentivar novas pesquisas no campo da ciência, da engenharia, da ecologia e do desenvolvimento sustentável.

Para participar da contemplação o candidato deve possuir dois pré-requisitos, estar inscrito no Simpósio e ter idade inferior a 35 anos. Nesta edição foram cadastrados 28 trabalhos. No caso de pesquisas com mais de um autor, prevalece a ordem de importância, ou seja, só o primeiro autor recebe o prêmio.

O processo de seleção é bem rígido. São duas etapas. A primeira é de qualificação, onde os trabalhos são avaliados por duas revisoras que examinam cinco elementos básicos: composição textual, metodologia, valor científico, originalidade, e qualidade das conclusões. A nota mínima para ir à comissão julgadora do Simpósio é de cinco pontos.
Conforme Koide a cada estudo após a qualificação deve ser apresentado nas sessões técnicas do evento, fora isso os candidatos passam por uma conversa junto a comissão para que seja identificado o grau de participação do autor na elaboração da pesquisa.
Calculada as notas, a comissão encaminha aos painéis de apresentação para julgar a correspondência entre a parte expositiva da pesquisa e o material escrito. Após esse procedimento as três maiores notas conquistam a premiação. Em caso de empate, ganha aquele que tiver a maior média na somatória de notas.

A comissão científica para a avaliação dos trabalhos é formada por três professores doutores em Recursos Hídricos. O PHD pelo Imperial College - Universidade de Londres, Sergio Koide, o doutor pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Carlos Nobuyoshi Ide e a doutora pela UFRGS, Márcia Maria Rios Ribeiro.

Os vencedores recebem um computador e uma viagem até o Congresso Internacional de Recursos Hídricos pagos pela Organização das Nações Unidas para a Educação a Ciência e a Cultura - UNESCO, e pelo Fundo Setorial de Recursos Hídricos a CT-Hidro patrocinadores da premiação.


Premiados

       Os três vencedores do prêmio Jovem Pesquisador ficaram contentes pelo reconhecimento e agradeceram no palco as instituições a que pertencem. Sidnei Ono de 32 anos é na Politécnica da USP. Seu artigo de mestrado já havia sido apresentado e também recebeu o prêmio Jovem Pesquisador Sul e Sudeste. No entanto, Sidnei afirmou que a premiação no Simpósio dá mais ânimo para continuar com as pesquisas.

       Carlos Henrique Lima, de 32 anos faz pós doutorado na Universidade de Columbia nos Estados Unidos. Ele também declarou-se muito feliz pela premiação.

       Aos 25 anos o pesquisador Renato Queiroz deixa uma mensagem. Esta foi a primeira vez que apresentou seu artigo pela Universidade Federal da Paraíba. “O meu tema foi uma iniciativa pessoal, é preciso buscar e acreditar no potencial para conseguir alcançar êxito”, concluiu.

Sobre o simpósio

Até 26 de novembro, Campo Grande sedia as mais diversas discussões em torno dos Recursos Hídricos. A 18ª edição do Simpósio Brasileiro sobre o tema trata do Desafio da Prática da Sustentabilidade na Gestão dos Recursos Hídricos: Natureza, Gente e Desenvolvimento. O evento promovido pela Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH) tem como objetivo debater e plantar sementes de conhecimento que fomentem a inovação e o incentivo às práticas em prol da gestão democrática, participativa, descentralizada e integrada dos recursos hídricos. O Simpósio não vai apenas apontar problemas, mas buscar soluções práticas e viáveis para que continue a produção, porém, com um melhor gerenciamento da água para que, realmente, possamos promover desenvolvimento com sustentabilidade.

ABRH - Associação Brasileira de Recursos Hídricos

Fundada em 1977, a ABRH é uma instituição técnico-científica, sem fins lucrativos, com aproximadamente mil associados em todo Brasil, que tem por finalidade congregar técnicos, pesquisadores, gestores, empresários, e todas as pessoas e empresas ligadas ao planejamento e à gestão dos recursos hídricos no País. Entre suas ações, destacam-se: publicação de livros especializados; promoção de eventos internacionais, nacionais e regionais; oito Comissões que discutem temas específicos sobre recursos hídricos. Atuando com independência, a ABRH tem procurado servir de fórum de debates e de encaminhamentos das soluções das questões na área de recursos hídricos, visando em primeiro lugar atender aos interesses da sociedade como um todo.

Acesse o site do evento: www.abrh.org.br


Informações para a imprensa
Contexto Mídia |(67) 3325-4113 |
Dilma Bernardes | (67) 9207-4496 | dilma@contextomidia.com.br
Renato Lima | (67)9245-7574 | renato@contextomidia.com.br