Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Diretor de agência reguladora defende inclusão do Plano de Águas nos gastos prioritários do governo

Diretor de agência reguladora defende inclusão do Plano de Águas nos gastos prioritários do governo

por ASCOM/ANA publicado 25/10/2006 00h00, última modificação 14/03/2019 16h34
Diretor de agência reguladora defende inclusão do Plano de Águas nos gastos prioritários do governo Juliana Andrade Repórter da Agência Brasil Brasília - O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), José Machado, disse hoje (25) que um dos desafios para a i
Diretor de agência reguladora defende inclusão do Plano de Águas nos gastos prioritários do governo

Juliana Andrade
Repórter da Agência Brasil

Brasília - O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), José Machado, disse hoje (25) que um dos desafios para a implementação do Plano Nacional de Recursos Hídricos (PNRH) é incluir os recursos necessários no próximo Plano Plurianual (PPA), que vai abranger o período de 2008 a 2011.

O PPA é elaborado de quatro em quatro anos pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e define as prioridades do governo federal para todas as políticas públicas, como as para área de educação, saúde e economia.

"Este é o grande desafio, a incorporação do nosso plano às prioridades nacionais”, afirmou. Lançado em março de 2006, o PNRH prevê ações para serem desenvolvidas até 2020, voltadas ao uso racional da água.

“Agora, os recursos do plano nacional terão que ser negociados. Nós já temos contato com o Ministério do Planejamento e, quando o plano tiver detalhado e as metas estiverem bem definidas, teremos números a colocar também nessas metas”.

As declarações foram feitas à Agência Brasil, antes de Machado abrir o 1º Workshop Brasil-China na Área de Recursos Hídricos, em Brasília. O encontro faz parte de um acordo de cooperação técnica e científica firmado em 2003 entre o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério dos Recursos Hídricos da República Popular da China. Em 2005, uma missão brasileira esteve na China, e agora os chineses visitam o Brasil para trocar experiências na área.

A delegação chinesa é formada por 13 técnicos e chefiada pelo vice-ministro da pasta, E. Jingping. A brasileira é chefiada pelo diretor-presidente da ANA. Os debates do workshop, que terminam hoje, incluem temas como monitoramento da qualidade e quantidade da água e sistema de informação, transposição de bacias e conservação da água e solo.

“A China padece muito fortemente de situações de escassez de água. Com uma população como é a da China, há desafios para o crescimento econômico, da agricultura e assim por diante. O Brasil também tem desafios nesse campo. Então, são dois países que têm muito a colaborar”, destacou Machado.

Na avaliação do vice-ministro chinês, a cooperação "cria excelentes oportunidades de intercâmbio de informações e troca de idéias entre os dois países, de modo que ambos os lados possam crescer na área de proteção dos recursos ambientais e hídricos”.

Além da China, o governo brasileiro também firmou acordo de cooperação técnica na área de recursos hídricos com Cuba e Espanha, informou o diretor-presidente da ANA.